Reflexões de Mesa de Bar

A alcunha "Diegopédia" foi me dada pelo meu colega João Paulo Coêlho à época da faculdade por minha mania de emitir opinião sobre quase tudo que havia na face da terra. Este humilde Blog foi fundado em 2008 com propósitos lúdicos de opinião e hoje, ocupa em minha vida um espaço de compartilhamento de críticas e ideias em minha empreitada contra o pensamento e contra às ações elitistas tão comuns na nossa sociedade tupiniquim. E expressão "Esquerda Feijoada" criei por necessidade de diferenciar a proposta de esquerda que defendo em minha vida. Esta proposta é de uma esquerda com os trabalhadores, dos trabalhadores e para os trabalhadores. Aqui, refiro-me, em especial, aos trabalhadores do país inteiro que saem todos os dias dos mercados públicos, comem sua feijoada (autêntica comida brasileira criada pelos escravos) e saem para seus postos de trabalho lutar por mais um dia. Não milito por esquerdas de elite que vivem de discurso. Milito pela esquerda do povão, do trabalhador que não esquece que é trabalhador e que luta por uma sociedade mais justa com distribuição da riqueza. Eu milito pela "Esquerda Feijoada" e que pese na barriga das elites a digestão destas lutas!

sábado, 9 de maio de 2015

Sobre como privatizar uma cidade: o caso do Cais Estelita em Recife-Pe

Divulgo aqui, neste espaço, o mini-documentário sobre o processo bastante discutível da prefeitura do Recife em aprovar o projeto novo Recife para construção e empreendimento imobiliário de luxo e terras que pertenciam ao povo do Recife.

apreciem e tirem suas conclusões...


segunda-feira, 4 de maio de 2015

Da coleção porque Dilma errou...

A presidenta Dilma errou, na opinião deste modesto blogueiro, ao optar por veicular seu pronunciamento oficial do dia do trabalho (01 de maio) por alguns motivos muito simples e de desdobramentos complexos. 

O primeiro argumento que cito consiste em ressaltar que, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), data base de 2010, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a televisão aberta (pelo conjunto de todos os canais) atinge cerca de 97% dos lares brasileiros. A internet alcança cerca de 49% dos lares brasileiros. Neste sentido, optar pela internet como meio de divulgação de um pronunciamento importante, em uma data importante, é, antes de mais nada, um erro estratégico sobre o alcance do pronunciamento. Os erros políticos disto dariam uma discussão em outra postagem.

O segundo argumento se sustenta nos dados fornecidos pelo próprio governo na Pesquisa Brasileira de Mídia (PBM) 2015: hábitos de consumo de mídia pela população brasileira , feita pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República. Importante destacar que:

"De acordo com a pesquisa, 95% dos entrevistados
afirmaram ver TV, sendo que 73% têm o hábito de
assistir diariamente. Em média, os brasileiros passam
4h31 por dia expostos ao televisor, de 2ª a
6ª-feira, e 4h14 nos finais de semana, números superiores
aos encontrados na PBM 2014, que eram
3h29 e 3h32, respectivamente." (Brasil, 2015).


Ora, parece-me que a presidência não considera sequer os próprios dados para tomar decisões sobre o impacto de suas mensagens para a população. Confesso que já fiquei rindo das diversas teorias proferidas por meus amigos vinculados ou simpatizantes do Partido dos Trabalhadores para tentar justificar esta posição, no minimo equivocada, da presidente Dilma em seu suposto enfrentamento da grande mídia corporativa no Brasil.

O argumento dos amigos PTistas de que Dilma acertou porque deu um golpe da Rede Globo não cola. Se a presidente Dilma estiver realmente interessada em partir para o enfrentamento para com o jogo sujo feito pela emissora dos irmãos Marinho, existem lutas mais decentes do que não fazer um pronunciamento em cadeia nacional do dia 01 de Maio. 

O argumento de que a presidenta pretende evitar o desgaste em se expor em rede nacional com mais um pronunciamento que desencadearia outro panelaço nas varandas das elites é ridículo, pois se a presidência anda com medo das panelas da classe média brasileira, eu creio que os trabalhadores devam ficar preocupados.

O outro argumento que tenho ouvido de colegas trata da economia de 90 mil reais que o governo teve ao optar por divulgar vídeos relativos ao 01 de maio nas redes sociais. Considero este argumento mais discutível ainda, pois o governo pode economizar em setores mais nobres do que justificar a fala para um seguimento de mídia onde não estão a maioria dos trabalhadores. 

Por fim, digo de forma clara e honesta, que não cabe a uma presidenta da república optar por se comunicar por meio de uma média que não atinge a maioria dos brasileiros. A matemática é simples. 95 ou 97% ainda é maior do que 49%. Resta ao governo, pelo menos, deixar de errar num campo em que ele erra há décadas: o da disputa de mídias neste país. 

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Retrospectiva 2014 - Um versão sobre o que aconteceu neste ano pelo meio do mundo.

Vamos à retrospectiva de 2014. Se você não lembra, Diego lembra para você. Meus críticos pediram e lembrarei alguns fatos que nem passaram na Globo.
01. Este ano começou com algumas tragédias urbanas anunciadas, com aqueles velhos deslizamentos de terra e enchentes que vem se repetindo e o poder público e a imprensa brasileira trata-os como se tragédias inesperadas fossem. Estas "tragédias" foram e sempre tem sido democráticas com ricos e pobres, sendo estes últimos os que focam a morar em albergues e nunca tem sua situação resolvida pelo poder público. E todo ano vejo aquelas correntes de solidariedade com forte apelo midiático a serem feitas. Cada um tire suas conclusões, mas a minha é bem simples: as cidades brasileiras precisam ser repensadas a sério e faz tempo para que "tragédias anunciadas" não ocorram de forma tão banalizada todo ano;
02. Muitas coisas caíram em 2014. Caiu torre, caiu viga do estádio do Corinthians (matando três operários, com declarações do presidente daquele clube dizendo que era isso mesmo), caiu o viaduto de BH (matando uma motorista de ônibus e até agora as responsabilidades estão rolando a passos lentos, bem lentos...);
03. Alguns aviões caíram em 2014. a Malaysia Air lines teve sua primeira grande tragédia com o Boeing 777 que mudou de rota abruptamente e foi cair no oceano índico por motivos até hoje desconhecidos. A segunda tragédia foi com outro Boeing 777 que desta vez caiu na Ucrânia, muito provavelmente atingido por um míssil do conflito Russia x Ucrânia (olhe que derrubar um 777 cheio de passageiros com míssil é um dos indícios do fim dos tempos). Recentemente, tivemos outra queda do Airbus A320 da AirAsia (Cia também da Malaysia Airlines) que sumiu do radar e deve ter caído do oceano sem possibilidades de sobreviventes. Ou seja, a avião da Malaysia passou por um ano bastante traumático. A aviação nacional passou pelo famoso episódio da queda do avião de Dudu Campos, acidente ocorrido em pleno período eleitoral.
04. Nem tudo caiu em 2014. Algumas coisas subiram, como a sonda da NASA que pousou ineditamente em um cometa e captou um som cabuloso extraterrestre. Nessas viagens espaciais, chegaram a anunciar que descobriram uma forma de vida rudimentar fora da terra (ainda em discussão). A NASA tenta provar algo que a população de Quixadá-CE sabe ha séculos: que existe vida fora da terra. Inclusive os ETs vivem passando férias em Quixadá e a NASA tentando sair da terra para achar os caras. Nunca entendi isso.
05. Você que não lembra, mas Satanás achando pouco, fez com que o Facebook comprasse o o Whatsapp em 2014 e condenando a humanidade inteira a nunca mais largar o celular! Ow maravilha! rsrs
06. Tenho que destacar o 2014. Indubitavelmente, foi o ano dos Direitos Humanos! Sé que não. Foi o ano da coroação das maiores violações de direitos humanos que pudemos ver ao vivo na TV. Houve jovem negro amarrado no poste com aquela imbecil da Sheerazaarde apoiando, houve várias mortes por homofobia (com a polícia relativizando os casos). O que dizer dos dois episódios de racismo declarado contra o goleiro Aranha protagonizados pela torcida do grêmio em coro no estádio? O que dizer das dezenas de mortes de jovens negros pelo pais, incluindo a morte do dançarino DG do programa esquenta da Regina Cazé, morto brutalmente pela PM e Regina abafou o caso até hoje? E o Bolsonaro que ameaçou de estupro a deputada Maria do Rosário por duas vezes no plenário? Mas há luta no meio disso tudo, pois o Conselho Regional de Psicologia do Paraná cassou o registro de psicóloga de Marisa Lobo (a "psicóloga cristã"). É inegável que Jean Wyllys, Marcelo Freixo e mais outra dezena de parlamentares (que vou ser injusto aqui por não citar todos os nomes) lutaram e estão lutando contra todo esse absurdo cotidiano estamos vendo no meio do mundo. Por fim, saiu o Relatório da Comissão da Verdade em 2014;
07. Em 2014, terminou o julgamento do Mensalão. Foi um festival de absurdos jurídicos protagonizados pelo "herói" nacional Joaquim Barbosa que quis fazer e fez do julgamento um palco político, em determinados momentos rasgando as leis desse pais para condenar a quem ele não tinha provas suficientes. Em 2014, pipocaram escândalos (trensalão de SP, Escândalos das vendas das estatais do pais na época do FHC, Escândalos na saúde com roubos bilionários em contratos com hospitais, prefeituras que apareciam todo domingo no Fantástico com roubos de recursos que a cidade mal se mantém e a famosa operação Lava Jato da Petrobrás). Alguns destes escândalos não serão apurados e outros serão na medida da conveniência política. A prova disso é que fizeram a maior zoada para abrir a CPI da Petrobras e quando notaram que a Política Federal descobriu que havia envolvidos do PT e do PSDB nos escândalos, mataram a CPI e entregaram um relatório que não denuncia ninguém (neste dia eu ri muito).
08. Em 2014, a NSA (agencia de espionagem cibernética dos EUA continuou invadindo celulares pelo mundo todo), inclusive de presidentes. O mais curioso, foi que rackers roubaram fotos peladas da Carolina Dieckman e vazaram na internet e ela mobilizou a polícia, o ministério público, a Globo e o escambal e a galera foi presa em duas semanas. O looby foi tão grande que apressaram a tramitação do Marco Civil da Internet (emperrada há anos no congresso) e chegou rapidinho para Dilma sancionar. A globo e os deputados batizaram a Lei do marco Civil da Internet de "lei Carolina Dieckman". Agora me diga se eu aguento essa galera?
09. Em 2014, Pepe Mujica teve seu ultimo ano de mandato presidencial e deixou para o mundo vários recados importantes. Legalizou a maconha, regulamentou o aborto e mais uma porção de medidas e declarações desconcertantes para o mundo. Obrigado Pepe!
10. Em 2014, muita gente conhecida e importante morreu. Vamos à lista:
o cantor NELSON NED, o cineasta EDUARDO COUTINHO, o ator malvado de holywood PHILIP SEYMOUR HOFFMAN, o ator PAULO GOULART, o humorista da praça é nossa CANARINHO, ator e mil coisas JOSÉ WILKER, o escritor e mil coisas GABRIEL GARCIA MARQUES, o locutor esportivo e mio coisas LUCIANO DO VALLE , a MÃE DINÁH (sim ela morreu este ano), o cantor JAIR RODRIGUES, o medico do esporte e comentarista OSMAR DE OLIVEIRA, o jogador do internacional de porto alegre FERNANDÃO, o ator e mil coisas ROBIN WILLIANS, precisa falar do Ariano Suassuna? o político EDUARDO CAMPOS, e o gênio ROBERTO BOLAÑOS!

segue o link para caso você não lembre de alguns deles:

11. Em 2014 TEVE COPA DO MUNDO ! (ao contrário do que muitos diziam) e teve GOOOOOOOL DA ALEMANHA! E o futebol brasileiro continua cheio de dirigentes corruptos e ninguém fala nada. O meu time do coração, o Fortaleza Esporte Clube, amarga já cinco anos na terceira divisão e eu sigo acreditando...
12. Em 2014, as trabalhadoras e os trabalhadores domésticos conquistaram o direito de ter sua carteira de trabalho assinada e ter todos os direitos previstos da CLT! Mas, em 2014, aumentaram a quantidade de terceirizações e precarizações de trabalhadores pelo país. O estado do Ceará, então, nem se fala. Pipocaram OS, OSCIP, EBSERH, Fundação disso e daquilo, contratos de trabalho e salários cada vez mais vergonhosos, mas o governo tem comemorado (com sua lógica de ver o mundo) o desemprego mais baixo da história, girando os 5%. Os postos de trabalho aumentaram, mas são postos de trabalho mal remunerados e precários. Nunca houve tantos postos de trabalho análogos à escravidão (Renner, C&A que o digam). Decidam vocês o que deve ser comemorado. Deputados, senadores e vereadores pelo país reajustaram seus salários e benefícios mais uma vez sem consultar a sociedade. O judiciário reajusta seus vencimentos e auxílios também. O governo aperta a concessão de seguro desemprego e outros direitos trabalhistas para economizar e no apagar das luzes do ano aumenta o salário mínimo em cerca de 8%, ficando agora R$788 reais.
13. Em 2014, houve eleições presidenciais e estaduais. Eu votei no Mauro Iasi (PCB) no primeiro turno. No segundo fiz campanha acirrada para Dilma Roussef por veto em Aecio Neves e briguei com meio mundo. Dilma se reelegeu e até o presente momento observo que a presidente não entendeu o recado das ruas, nem das urnas. Farei o que disse que eu ia fazer. No dia seguinte, fazer oposição qualificada, pois a atual conjuntura não me permite dúvidas que o PT já deixou de ser dos trabalhadores há tempos, e Dilma está botando a pá de cal nos suspiros de esquerda que o PT ainda tenta fazer. Também ganhamos de presente o congresso nacional mais reacionário e conservador de todos os tempos. Previsões catastróficas a parte, 2015 não será fácil politicamente.
14. Em 2014, ocorreram coisas importantíssimas que talvez não mudem muito o mundo: Xuxa foi demitida da rede Globo com uma generosa indenização. O Orkut acabou.
15. Em 2014, não foram os santificados pelo Papa Francisco que entraram para a história, mas sim outro tipo de divindade: os JUIZES brasileiros!
16. Em 2014, houve muitos protestos (com mortes inclusive daqueles que cobriam os protestos e daqueles que protestavam). Nunca ficou tão evidente que nossa polícia não sabe o que faz e que é urgente a desmilitarização da PM. Que sigamos protestando por um mundo melhor, mesmo sendo criminalizado por isto, mesmo apanhando por isto. Lutar é um direito nas democracias.
17. Por fim, 2014 (por razões que ainda preciso refletir), EUA e Cuba estão reatando lações após 53 anos.
Um grande abraço meu povo. Um 2015 excelente e de luta para todos nós e vamo simbora!!!

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Fim de ano é tempo de avaliações: alguns elementos apresentados pelo presidente do Uruguai, Mujica na Rio + 20 (Brasil)

Caros leitores deste humilde Blog de Esquerda.

Segue o discurso do Presidente do Uruguai, Pepe Mujica, proferido na Rio + 20 (Brasil) em que o referido presidente traz uma excelente reflexão apropriada em qualquer época do ano e em especial nestes tempos de final de ano (tempos de avaliações). Mujica fala a respeito do nosso modelo de "desenvolvimento" que nos distancia cada vez mais daquilo que deveríamos ser uns com os outros: felizes.

Esta é a mensagem de fim de ano do Blog aos seus leitores. Que possamos refletir para de fato fazermos um mundo melhor de se viver no cotidiano. O Espírito natalino e de festas de fim de ano em si não representam o pensamento do autor deste Blog, mas este mesmo autor reconhece que o final de cada ano e sim um período de avaliação de tudo que vivemos e temos feito. Pois que avaliemos! E que avaliemos bem fundamentados.

Como vocês, caros leitores, Pepe Mujica (com legendas em dois idiomas). Assistam e tirem suas conclusões.

Uma abraço, boas festas e até breve!

Diego Mendonça Viana


quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Para Refletir com Darcy Ribeiro: somos tudo isso e mais um pouco.

Caros leitores do Blog Diegopédia, reproduzo abaixo o texto o conteúdo de um texto de autoria do pensador notável Darcy Ribeiro. Este fragmento de texto do Darcy (que faz parte de sua obra O Povo Brasileiro), encontrei em um livro-texto sobre um curso de impactos da violência no campo da saúde que estou a estudar e considerei as reflexões do referido sociólogo brasileiro de extrema relevância e revolvi compartilhar com os interessados. Segue o texto:

"Todos os brasileiros somos carne da carne daqueles pretos e índios supliciados. Todos nós brasileiros somos, por igual, a mão possessa que os suplicou. A doçura mais terna e a crueldade mais atroz aqui se conjugaram para fazer de nós a gente sofrida que somos. Descendentes de escravos e de senhores de escravos seremos sempre servos da malignidade destilada e instalada em nós, tanto pelo sentimento da dor intencionalmente produzida para doer mais, quanto pelo exercício da brutalidade sobre os homens, sobre as mulheres, sobre as crianças convertidas em pasto de nossa fúria.

A mais terrível de nossas heranças é esta de levar sempre conosco a cicatriz de torturador impressa na alma e pronta a explodir na brutalidade racista e classista. Ela é que incandesce, ainda hoje, em tanta autoridade brasileira predisposta a torturar, serviciar e machucar os pobres que lhes caem às mãos. Ela, porém, provocando crescente indignação nos dará forças, amanhã, para conter os possessos e criar aqui uma sociedade solidária". (p 120)

Darcy Ribeiro (O Povo Brasileiro, 1995).

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Governo Dilma Veta 30h para Psicólogos e o Que Eu Penso Disto: O Partido dos Trabalhadores há tempos não é dos trabalhadores.

Bom, eu recebi a notícia de supetão, entre um atendimento e outro aqui no trabalho (tive que reavivar meu bom senso e compromisso com meus usuários para terminar os atendimentos com dignidade que sempre fiz) Vi e li o texto do veto das 30h da Psicologia. Fiquei puto, fiquei indignado e sem motivos para cantar uma bela canção e já escrevi um texto enorme. Agora que já almocei, bebi uma água, relaxei e ainda cheio de ódio no meu coração escrevo aos meus amigos mais exaltados: calma galera, não se podia esperar nada de melhor (e olhe que me empenhei pessoalmente e profissionalmente nessa luta para estar falando isso)! Não é o veto que me deixa chateado. São as razões do veto que meu deixam decepcionado. Vamos a uma análise mais detalhada dos fatos:
01. Eu participei de audiência pública, reunião, ato, passeata, pronunciamento de parlamentar, passei de gabinete em gabinete. Tirei até foto com quem eu nao queria pela causa das 30h. Isso fora a militância virtual. Então me considero um sujeito que foi sim derrotado, junto com uma parte expressiva da minha categoria profissional pela incoerência do Parido do Trabalhadores (PT) gestão Dilma
02. Falo de incoerência porque o PT deu justo ganho de causa as 30h dos companheiros assistentes sociais no governo Lula e vetou no governo Dilma os PLs de 30h da Fonoaudiologia e agora da Psicologia. Falo de incoerência, pois os argumentos das categorias são semelhantes em mérito (saúde do trabalhador que faz jus a redução de carga horária em função do trabalho desgastante e que possui muitas vezes remuneração incompatível com a exigência que o trabalho solicita do profissional). Falo de incoerência porque as razões do veto ao PL das 30h da Psicologia e as exigências contidas na razão do veto nao foram cobradas do PL dos companheiros assistentes sociais. falo de incoerência porque nas políticas públicas brasileiras psis e Assistentes sociais trabalham nos mesmos serviços públicos com disparidade de carga horaria agora legitimadas por veto presidencial, legitimando assim a disparidade de classe de trabalhadores;
03. Falo de incoerência pois os governos do Partido dos Trabalhadores (ironicamente) legitimam disparidades de classe inaceitáveis à História do próprio movimento trabalhista brasileiro, pois legitima a falta de isonomia de salários em favor da classe médica, permitindo que estes trabalhadores ganhem 10 vezes mais do que os demais trabalhadores dos mesmos serviços públicos e muitas vezes com metade da carga horária dos demais trabalhadores. Para isso, não existe argumento de austeridade econômica com as contas públicas. Agora, com este ato, o governo petista de Dilma Rouseff legitima a falta de isonomia de carga horária entre assistentes sociais e psicólogos nas mesmas políticas públicas (já que os os dois profissionais são estruturantes de grande parte das políticas sociais, de educação e de saúde deste país).
04. Quando a categoria de Psicologia escolheu a luta nacional por 30h, foi partindo do princípio que uma luta por piso salarial era uma luta facilmente vetável, justamente pelo argumento do impacto econômico. Diversas pesquisas feitas, apontam, (inclusive aqui no estado do Ceará) que os psicólogos são extremamente mal renumerados. Esse privilegio nao é da nossa categoria, sabemos disto, mas é sim fundante dos processos de precarização aos quais estamos submetidos. A redução da jornada para 30h do ponto de vista do impacto econômico para as políticas públicas é um argumento cínico, pois os profissionais já são mal pagos. Que super impacto seria esse nas contas públicas? Vamos discutir lei de responsabilidade fiscal com a quantidade de cargos comissionados que existe no âmbito da gestão pública presidente Dilma? Vamos falar de economia? É brincadeira com o trabalhador. E olhe que eu acredito que estou aqui a escrever para reclamar migalhas...
05. O mais interessante é a preocupação do governo com o setor privado. Claro, por que não teria preocupação, não é? Os planos de saúde pagam absurdos mizeráveis por cada atendimento, cobram um quantidade de atendimentos sem precedentes e isso o próprio governo não regula. Aliás, quando o governo regula, é para manter a precarização (como acabou de fazer). Preciso falar das terceirizações?
06. Depois eu pergunto. O que é o Ministério da Saúde na gestão Dilma? Sob a égide do ex ministro Alexandre Padilha eu vi todas as causas progressistas no campo das profissionais do sexo, no campo LGBTT, na política de prevenção do preconceito e apoio aos pacientes com HIV/AIDS/Hepatites Virais (com exceção do programa de medicação) serem barradas porque a presidenta Dilma cedeu a pressão da bancada evangélica e o Ministro Padilha assinava embaixo. Eu vi a precarização dos trabalhadores ser cada dia mais legitimada por meio de todos os programas vinculados ao MS (mais médicos, PROVAB, PMAQ, residências e outros). Sem vínculos trabalhistas, todo mundo bolsista, sem direitos a quase nada do que defende a CLT e outros estatutos. Pois bem esse mesmo MS certamente foi definitivo para veto das 30h. Palmas para eles que ainda cinicamente usam o argumento econômico. Dilma e Padilha sabem quanto ganha um psicólogo nos NASF e nos CAPS para trabalhar 40H? Eles sabem, mas nao querem se indispor com prefeitos, afinal médicos tem capital político na nossa colônia para se fazer negociatas municipais, psicólogos não.
07. Por fim, para maior tristeza ainda, eu sei que a maioria da minha categoria é de direita (não são tipo o abestado que aqui vos escreve que é de esquerda e ainda é comunista, acredita nos valores coletivos e luta pelos e com os trabalhadores). Não vai se mobilizar para ir a Brasília pressionar os parlamentares (inclusive da base aliada) para derrubarem o veto. Meus colegas farão pior. Daqui a 4 anos serão cerca de 24 mil votos de psicólogos (e suas famílias) a favor do PSBD.
O veto poderia ter sido parcial, o governo poderia ter negociado até escalonamento de carga horária como está tentando fazer com os enfermeiros, mas ficar em silêncio todo este tempo para vetar com estes argumentos questionáveis não dá. O PT que tenha todos os seus defeitos (e são muitos) e sua virtudes (todas discutíveis), mas eu, Diego Mendonça Viana, psicólogo, jamais serei compreensivo com decisões governamentais que favorecem a precarização dos trabalhadores. Aprendi desde cedo na minha vida porque vi isso todo ano na minha família e na minha vida: aos patrões a Lei.Aos trabalhadores, a rua para fazer com que os patrões nunca esqueçam das leis. Quando um governo nega aos trabalhadores a lei que os permite se resguardar da opressão trabalhista, este governo declara publicamente que não é dos trabalhadores. Este governo é dos patrões.
E nada mais tenho a declarar sobre as 30h da Psicologia e nem sobre o veto presidencial do Governo Dilma.

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Esta máxima nunca foi tão clara: "o problema não é a seca, mas a cerca".



Certamente, esta é uma das imagens mais fortes e chocantes (a carcaça de uma animal morto por motivos de seca e fome) de quem frequenta o sertão do nordeste brasileiro, em especial o sertão cearense. A segunda cena mais impactante é ver o agricultor familiar chorando ao ver esta cena. 

Nada, simplesmente nada, justifica as duas cenas. Basta um olhar rápido em qualquer cidade em que se percebe estas duas cenas acontecendo para se notar que algo de muito errado acontece neste país a anos e, no final da cadeia social, quem sofre é a vaca morta e o agricultor: este algo chama-se desigualdade crônica e perversa.

Isto que digo parece discurso batido e piegas, mas não o é. No mesmo município em que o gado morre de fome e de sede e o agricultor é obrigado a beber água contaminada em virtude da "estiagem" dos recursos hídricos, é possível perceber que as elites locais não estão passando mal assim. Continuam andando em carros importados com ar-condicionado, com suas fazendas produtivas, fazendo algo mais doloroso para nossa sociedade: distribuindo favores, cesta básica, ração, dinheiro e outros presentes "em função da situação calamitosa que a natureza trouxe para todos nós".

Ora, se a seca é para todos, parece-me estranho que a natureza escolheu logo o agricultor para fazer dele seu principal afetado. Logo o agricultor que cuida mais da natureza, que vive dela, que possui uma relação de amor e ligação visceral com a mãe natureza. Como sou comunista e acredito que a natureza não seria tão injusta com aqueles que dela necessitam, eu acredito em outra teoria bem antiga: a seca flagela uns para dar lucro a outros.

As elites locais lucram política e economicamente com a estiagem. É fácil perceber, basta dar uma volta em qualquer interior (não vou nem citar o exemplo das cidades, pois isto daria outro artigo) do nordeste. Vende-se tudo a quem mais precisa nos momentos de calamidade: vende-se alimento "fiado" a preços maiores para que a dívida fique impagável, vende-se água contaminada, vendem-se poços profundos a preços exorbitantes, vendem-se favores e vende-se a dignidade do trabalhador rural. Basta procurar que rapidamente se saberá da máfia da benda de poços profundos protagonizada pelas elites que dominam prefeituras pelo sertão adentro. Ninguém investiga e nem isto vira notícia porque crimes da estiagem nao vendem jornais como vendem desvios da Petrobrás. 

O governo que possui parcela grande da culpa (este é o termo mais adequado) deste processo, alega eternamente que está investindo para melhorar a situação. Mudou de discurso ao longo dos tempos. Parou de dizer "combate a seca" para "convivência com a seca". Eu pergunto: convivência de quem? de que? como?. Fiz uma busca rápida na internet e encontrei algumas matérias jornalística que afirmam que o estado do Ceará tem investido alguns milhões "nesta questão". Contudo, quando comparo este mesmos milhões com outros milhões de incentivos a indústrias oportunistas de estruturas pré-moldadas (tão fugazes quanto as chuvas), percebo quanta diferença de investimento de milhões existe na "estiagem de recursos" para investimentos. Concluo, então, que a conivência com estiagem nunca foi prioridade dos governos (no máximo hoje se gerencia tragédias e calamidades). Afinal a cerca (propriedade privada concentrada na mão de poucos) é lucrativa. A seca é muito mais. 

Até quando ficaremos cantando a súplica cearense? Por mim, já podíamos deixar de cantar hoje.

Súplica Cearense 
Gordurinha & Nelinho 


Oh! Deus, perdoe este pobre coitado
Que de joelhos rezou um bocado
Pedindo pra chuva cair sem parar

Oh! Deus, será que o Senhor se zangou
E só por isso o sol se arretirou
Fazendo cair toda chuva que há

Senhor, eu pedi para o sol se esconder um tiquinho
Pedi pra chover, mas chover de mansinho
Pra ver se nascia uma planta no chão

Meu Deus, se eu não rezei direito o Senhor me perdoe, 
Eu acho que a culpa foi
Desse pobre que nem sabe fazer oração

Meu Deus, perdoe eu encher os meus olhos de água
E ter-lhe pedido cheinho de mágoa
Pro sol inclemente se arretirar

Desculpe eu pedi a toda hora pra chegar o inverno
Desculpe eu pedir para acabar com o inferno
Que sempre queimou o meu Ceará